Menu

Fábio Rodrigues

Arte e Caligrafia Contemplativa

“Normalmente nós avaliamos o processo criativo em termos de quanto sentimento ou pensamento houve por trás do trabalho, ou do quanto ele foi bem executado. Não há outro modo de apreciar o processo? E se o padrão de excelência fosse o quão plenamente presente estava o artista durante o processo?”

—Kazuaki Tanahashi

Pintura expressiva inspirada na escrita cursiva de “慈” (compaixão) — Fábio Rodrigues

A caligrafia contemplativa é uma abordagem à tradição caligráfica oriental onde a prática artística é aplicada como instrumento direto de florescimento humano. Ao apreciar uma peça, nos beneficiamos de focar seu significado profundo e suas qualidades sutis — de energia, presença, força estética e expressiva com que foi executada. Ao praticar ou produzir uma peça, nos movemos com o pincel sobre papéis e telas para cultivar nossa relação com o relaxamento e a vivacidade, o acerto e imperfeição, o controle e a espontaneidade, com a qualidade da motivação, das emoções e da atenção. Legamos ao mundo e às pessoas um registro honesto da nossa expressão.

Ensō da série “Miracles of each moment” — Kazuaki Tanahashi

***

“Para se criar uma sociedade iluminada, é preciso mudar a cultura, e para mudar a cultura, é preciso mudar a arte. E para mudar a arte, é preciso mudar os princípios nos quais ela é baseada.”

—Chögyam Trungpa Rinpoche

***

“A arte aponta diretamente a realidade. A arte é um espelho que reflete a base da nossa mente.”

—Lama Padma Samten

***

“Ao trabalhar com o pincel, você aprende a agir lentamente, relaxado e focado ao mesmo tempo. Você aprende a desfrutar de cada momento plenamente e a apreciar a imperfeição. Você experimenta a meditação em movimento e se familiariza com uma dimensão mais profunda de si mesmo — graduamente você se coloca em um processo de descobertas contínuas e de perceber os pequenos milagres na vida.“ 

—Kazuaki Tanahashi